DO CONTRA

Descontente,  escrevia poesia:
contra.                         O nada,
a cada palavra sua,   alargava.

Doente, escrevia poesia:
contra.               O nada,
a cada palavra, alagava.

Débil,    vivia poesia:
contra.        O nada,
cada palavra calava.

Morreu poesia:
contra o nada,
velha palavra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s